Governo do MS descredencia 19 bancos que faziam empréstimo consignado a servidores

O governo do Estado do Mato Grosso do Sul descredenciou 19 instituições financeiras que faziam empréstimos consignados aos servidores públicos estaduais. A relação de convênios rescindidos está publicada na edição desta sexta-feira (11) do Diário Oficial.

O ato baseou-se em decreto de 2010 que garante por três anos a exclusividade do Banco do Brasil para realizar este tipo de operação.

Foram alvo da rescisão os seguintes agentes financeiros: Caixa Econômica Federal, Banco Rural, Cruzeiro do Sul, HSBC, Panamericano, Daycoval, Cacique, Santander, Finasa, Banco Mercantil do Brasil, BMG, BV Financeira, BGN, Oboé, Cocresul, Bancoob, Banco Safra, Intermedium S.A., Paraná Banco.

Circular do Banco Central do Brasil proibiu em janeiro de 2011 a celebração de contratos de exclusividade para instituições financeiras, mas os contratos já firmados entre entes públicos e bancos serão mantidos.

Fonte: Midiamax

Prefeitura de Campo Grande altera regras para empréstimo consignado de servidores

A Prefeitura da Capital alterou um decreto de 2007 que regulamentava os empréstimos consignados dos servidores municipais, reduzindo na prática o valor das parcelas a serem pagas pelos contratantes.

“Com a nova medida, a título de compensação de custos, a entidade credenciada recolherá, pela operacionalização das retenções e repasses mensais das consignações, apenas e tão somente o valor de R$ 1,00”, explicou o secretário municipal de Administração, Ricardo Ballock.

Segundo o secretário, até então a legislação vigente determinava que o título de compensação cobrado pelas instituições financeiras sobre os empréstimos era de até 2% sobre o valor da parcela.

“Com a economia nos empréstimos, os funcionários municipais poderão utilizar a diferença para suprir outras necessidades. Nesta crise, qualquer montante representa muito para cada servidor”, frisou Ricardo Ballock.

O município explica ainda que os valores de compensação são retidos por ocasião do repasse das consignações às entidades credenciadas e destinam-se à aplicação em despesas de formação, capacitação e aperfeiçoamento dos servidores da Prefeitura Municipal.

“Estamos buscando alternativas para desonerar o custo dos consignados para os servidores municipais, principalmente no que tange aos valores dos empréstimos consignados utilizados pelos servidores com a concorrência financeira”, finalizou o secretário.

Fonte: Midiamax